Quem trabalha com trade marketing ou é um varejista sabe o quão importante é o posicionamento do produto nos pontos de venda. Ter uma estratégia de trade bem definida e executada pode ser decisivo para o desempenho das vendas de um produto – e, muitas vezes, expô-lo na ponta da gôndola ajuda (e muito) nesses objetivos.

Além da importância do posicionamento de mercadorias, as estratégias de trade marketing só serão bem-sucedidas, de fato, se houver uma organização dessas ações, de forma que seja possível ter visibilidade dos resultados e controle do que está sendo feito.

Para isso, existem tecnologias disponíveis no mercado que não só ajudam o promotor a acompanhar a performance das ações de pontos extras, mas, também, a executar todas as principais auditorias de ponto de venda.

Neste artigo, falaremos sobre o que é e quais são as vantagens da ponta de gôndola e como essas estratégias podem ser executadas e acompanhadas de forma rápida e prática, com apenas alguns cliques. Vamos lá?

Afinal, o que é uma ponta de gôndola?

Em linhas gerais, o ponto extra é, basicamente, qualquer local no PDV que não seja a gôndola – ou ponto natural – que é o local nos corredores com prateleiras onde os produtos costumam ser expostos. Qualquer lugar além deste, que é o caso da ponta de gôndola, é considerado um ponto extra.

A ponta de gôndola, no caso, fica localizada ao final do corredor, geralmente estando à frente de dois corredores. Nela, é possível expor uma quantidade um pouco menor de produtos; no máximo dois tipos diferentes (quase sempre da mesma marca). 

Além da ponta de gôndola, alguns outros tipos mais comuns de pontos extras são a ilha promocional, o clip strip, o check stand e a orelha.

Por que a ponta de gôndola é importante para as vendas?

Para falarmos sobre isso, relembre onde está a ponta de gôndola nos varejistas. Ela está nos corredores, onde há um maior tráfego de pessoas. Adicionalmente, os produtos ali postos estão isolados de outros da mesma categoria (ou seja, concorrentes) e, portanto, têm um destaque maior.

Com isso, as mercadorias localizadas na ponta de gôndola são notadas mais facilmente pelo shopper, porque mesmo que ele não entre no corredor respectivo à aquela categoria de produto, é impactado por aquele produto.

Portanto, o motivo pelo qual os itens da ponta de gôndola têm mais chance de serem comprados está atrelado ao maior destaque que recebem. 

Dicas para organizar a sua ponta de gôndola

Agora que você já sabe o que é a ponta de gôndola e como ela pode ajudar a impulsionar as vendas, trouxemos algumas dicas que irão te ajudar a organizá-la para que seja estratégica para a sua empresa e, assim, aumente as vendas.

  1. Selecione os produtos que estarão na ponta de gôndola;
  2. Utilize uma “orelha”;
  3. Potencialize a venda de produtos;
  4. Destaque produtos em promoção;
  5. Varie os produtos com frequência;
  6. Certifique-se de que o seu produto está precificado.

Explicamos a seguir:

1. Selecione os produtos que estarão na ponta de gôndola

Para tomar esta decisão, pense em produtos que estejam atrelados à estratégia de negócio da sua empresa. No caso, o padrão é colocar na mesma ponta, no máximo, dois produtos, até mesmo porque esse espaço é bem reduzido.

Portanto, utilize esse recurso para dispor produtos em promoção, que tenham bastante saída ou que necessitem de destaque; variações do mesmo produto (ex.: leite condensado normal e dietético) ou fazer cross merchandising com mercadorias complementares, colocando, por exemplo, leite e achocolatado juntos.

2. Utilize uma “orelha”

Conforme dissemos anteriormente, o recomendado é colocar apenas dois tipos de produtos nas pontas de gôndolas. Porém, isso não é um impeditivo para que utilize outros artifícios para aproximar outras mercadorias.

Uma das formas de se fazer isso é colocando uma orelha, que é, basicamente, um display personalizado de produtos colocado ao lado da ponta de gôndola.

3. Potencialize a venda de produtos 

Outra opção estratégica de utilizar a ponta da gôndola é colocar ali os produtos que precisam de um impulsionamento de vendas, ou seja: que não têm muita saída.

Inclusive, este local é duplamente importante para isso, pois além de ser um ponto extra que tem mais visibilidade para os shoppers, é propício para a realização de promoções. Portanto, para fazer um “barulho” ainda maior para esses produtos, vale utilizar cartazes, conceder descontos ou fazer campanhas do tipo “pague 1, leve 2”.

4. Destaque produtos em promoção

Conforme já dito em dicas anteriores, esse local é adequado para destacar produtos em oferta ou que façam parte de alguma campanha de marketing – que, no caso, podem ser relembradas ou destacadas com materiais gráficos, como wobblers. Inclusive, temos um artigo que fala sobre como registrar seus materiais de MPDV.

5. Varie os produtos com frequência

Por mais que determinado produto esteja tendo um bom desempenho na ponta de gôndola, não torne aquele o seu local fixo. Por que?

Porque provavelmente há outros produtos da sua marca que também precisem de impulsionamento de venda ou de mais destaque, então estude quais são essas mercadorias com base em dados e no comportamento de seus clientes e faça essas alterações rotineiramente.

6. Certifique-se de que o seu produto está precificado

De nada adiantará conquistar uma ponta de gôndola, colocar ali os produtos mais adequados para a sua estratégia de negócio e fazer promoções se eles estão sem preço. 

O preço é um grande fator de decisão de compra, então a partir do momento em que a mercadoria não está com o seu valor à mostra, ela corre o risco de não ser comprada. Portanto, confira se as etiquetas de preço estão lá e em uma posição visível para o shopper.

Como registrar os pontos extras conquistados?

Por ser um aliado da estratégia de vendas da empresa, é muito importante que as pontas de gôndola sejam computadas, avaliadas e tenham seus resultados mensurados para que seja possível comprovar (ou não) a efetividade delas para o negócio.

Para que esses registros sejam feitos de forma organizada, centralizada e rápida, é importante que os promotores tenham em mãos uma plataforma completa na qual seja possível inserir não só essas, mas todas as informações importantes referentes aos PDVs e as vendas. 

Um exemplo de tecnologia que é uma aliada do profissional de trade é a solução de Trade Marketing da REsight, empresa brasileira especializada em execução e monitoramento de varejo.

Por meio dela, é possível verificar se as estratégias definidas estão sendo realizadas de forma correta, potencializar e mensurar promoções e campanhas, gerir ativos de merchandising, auditar o PDV, criar pesquisas e ter em mãos relatórios atualizados – tudo isso em um dispositivo móvel. 

Além disso, para a gestão, principalmente, a tecnologia conta com um roteirizador comercial, que define cluster, carteiras e traça rotas de forma automática e otimizada, e uma plataforma para a realização de feedback e disponibilização de cursos – isso sem contar, claro, com as outras funcionalidades que permitem o acompanhamento em tempo real das ações de trade e da rotina dos promotores de qualquer lugar. 

Quer saber mais sobre como a plataforma da REsight pode transformar a sua empresa ou agência? Conheça a nossa plataforma completa de Trade Marketing.

Você também pode gostar

Fale Conosco

Siga-nos

A Resight é a solução mais completa de execução e monitoramento de varejo do mercado.

Pertence ao grupo Experity, uma empresa criada para inspirar relações duradouras por meio da tecnologia.

Fale Conosco

Telefone
(11) 3787.0400
segunda a sexta, das 9h às 18h
(exceto feriados nacionais)

Endereço
Av. Doutor Chucri Zaidan 1550 – cj. 2503
CEP: 04711-130 – São Paulo – SP

Copyright © 2021 – Todos os direitos reservados